# 562



"O mar é como um deus e as ondas são como os homens; e como muitas vezes acontece com os homens, também as ondas sentem uma necessidade indomável de fugir ao seu deus, em busca de liberdade, em busca da sua individualidade. Sacrificam a própria existência ao desejo de liberdade. Percebes? As ondas fogem do mar. Buscam na areia das praias a sua libertação; e conseguem-na, mesmo que dure escassos instantes. Preferem um momento de individualidade a uma eternidade de submissão."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Maria João Alves

Sem comentários:

Enviar um comentário