# 1302



"Meu amor,
Escrevo-te para te comunicar o nosso fim. "Nunca digas nunca" - disseste um dia. Mas adiando o presente, corremos o risco de nunca existirmos. O presente esfumou-se. Ficou o frio."

Texto: Clara Vales
Foto: Carla de Sousa

# 1301


"rasgaram a lua ao meio

a banda de cima
o céu engoliu
a de baixo
me derrubou"

Texto: Luísa Benevides
Foto: Luciana Esteves

# 1300



“Não conseguia decifrar em que pensava, o que sentia, a vontade que lhe subia ao peito e faria mover as mãos.”

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Sílvia Bernardino

# 1298



"Serviria o choro para alguma coisa, afinal? Ou seria apenas uma distracção?"

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Frankie Boy

# 1297



"As mãos já não viajam. Esperam, apenas."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Miguel Paté

# 1296



"Por ti, atraso a vida trinta segundos em cada dia."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Vilma Serrano 

# 1294



"Mas há momentos (raros) em que existir simplesmente preenche todos os vazios de sentido. É neles, na serenidade de quem se resigna ao facto de que a vida é complicada mas vale a pena, que devemos começar a procurar a felicidade."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Selma Preciosa

# 1293



"Podes fechar a cortina do quarto.
É no escuro, que te verei melhor."

Texto: Clara Vales
Foto: Ana Gilbert 

# 1292



"Reminiscência de toques marcados na pele. Capítulo encerrado ainda por ler. Melodia cantada na surdina da voz. Passos de dança esquecidos de ti. Espúrio teatro encenado por nós. Proibimos o tempo de lembrar que existimos, no cair do pano de um palco inventado..."

Texto: Catarina Vale
Foto: Sónia Silva

# 1291



"O sonho é a minha casa."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Teresa Bret Afonso

# 1290



"É no silêncio que os milagres acontecem."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Carla de Sousa

# 1289



"Os tesouros escondem-se sempre nos recantos mais escuros da alma."

Texto: A. M. Catarino
Foto: Ana Moderno

# 1288



"Por vezes os sonhos excedem a pele."

Texto: Catarina Vale
Foto: Miguel Paté

# 1287



"Mergulho. Sempre com aquela sensação de ficar sem ar, de que a vida nos aprisiona, nos puxa para baixo até voltarmos à superfície. À liberdade. E mergulho outra vez."

Texto: Jorge Gomes Pereira
Foto: Rita Bastos

# 1286



"Não esqueço. Era um dia soalheiro reflectido nas folhas da tua atenção. Quis falar-te. Faltaram-me as forças. Olhei intensa, algum tempo. Não o bastante para te desconcentrar. Foi a última vez que nos não vimos."

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Teresa Marques dos Santos

# 1285



"Porque nunca nos basta a felicidade que temos?"

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Luciana Esteves

# 1283



"- Como é possível gostares tanto de mim?
- O meu coração é elástico... quanto mais gosto de ti, mais ele cresce; e quanto mais cresce, mais eu quero gostar.
- E se crescer tanto que, um dia, rebenta?
- Tu apanharás os pedaços um a um... sei que sim. E pedaço a pedaço, voltarás a recompô-lo."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Sílvia Bernardino 

# 1281



“Parece que o mundo parou, poderia pensar-se. Mas não parou. Continua a rodar, talvez o mundo seja como as pessoas e se force a continuar a rodar, mesmo que isso não sirva para nada.”

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Vilma Serrano

# 1280



"Sou um passageiro involuntário da pior das saudades,
Aquela que sofre da perca do nunca acontecido."

Texto: A. M. Catarino
Foto: Maria João Alves

# 1279



"A liberdade tem um preço. Paga-se em anos de solidão."

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Sónia Silva

# 1278



"Há sempre uma fronteira perdida nas luzes acesas da distância."

Texto: A. M. Catarino
Foto: Selma Preciosa

# 1277



"Sem filtros nem edição. Quando nos relacionamos assim com a vida sentimos que é desnecessário mudar cor e intensidade. Não há nada mais colorido e intenso que a verdade de existir. Existir sem filtros nem edição. Simplesmente. Ser."

Texto: Renata Barbosa
Foto: Carla de Sousa

# 1276



"Vou secar todas as lágrimas e iluminar-me de dentro para fora.”

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Teresa Marques dos Santos

# 1275



"Estás enganada, não tenho a cabeça cheia de pensamentos. Tenho a cabeça cheia de sonhos."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Miguel Paté

# 1274




"Promete, vais ser minha para sempre.“
Murmuravas-me ao ouvido enquanto te apoderavas de cada milímetro meu... Sentia-te a ser tudo o quanto podias, e eu era a felicidade a perecer de exaltação.
O meu silêncio nos teus gemidos, as tuas palavras largadas na intensidade "Promete, vais ser minha para sempre."
Amava sentir a tua exortação, a tua avidez pelo meu corpo, acreditando que se estendia até à alma.
Mas as promessas são de uma fragilidade imensa, e não se promete o que é impossível deixar de existir. Esperava um sempre que não se alimentasse somente de mim, onde não vivesse sozinha o que ia além da carne.
A minha carne impossível de distinguir da tua, perfeitamente sincronizadas numa agitação que de tão espontânea nos dissolvia por inteiro no mais anestesiante dos prazeres.
Regressávamos, deixando lentamente de nos tocar, apaziguando os sentidos na separação do que mais almejava ser...
E restava assim... Despojada de tudo e de nós, numa matéria incompleta que se envolvia na ilusão de guardar o remanescente de ti.
Apenas carne, sempre carne..."

Texto: Catarina Vale
Fotos: Ana Gilbert

# 1271



"De ti não quero palavras. Nem pensamento organizado. Quero turbilhão dos sentidos. Quero saber-te com a pele."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Sónia Silva

# 1270



"Sinto-te enquanto percorro a distância que insiste em nos separar. Anseio, sôfrega, pelo toque que me desperta de mim. O meu corpo a desejar-te tanto, que todos os meus poros se abrem para te respirar.
Chego... Trémula para te ter... Denuncio-me no teu olhar...
Embrulhas-me no teu abraço que de conforto, num ápice, se transforma em excitação.
E beijamo-nos num beijo que apaga o mundo, como se a fusão das nossas línguas concebesse uma nova realidade.
O nosso amor a ordenar ser celebrado. A minha pele a exigir ser mais na tua. Já nem o ar se atreve a estar mais entre nós.
E estás em mim, como se nunca tivesses deixado de estar. Como se cada movimento teu tivesse sido exaustivamente ensaiado.
Deleitas-te com cada pedaço que insiste em te pertencer.
E vou tão longe, mesmo sem ter a certeza que te levo comigo. Mesmo sem ter a certeza que entendes que há partidas que nunca anunciam a chegada.
E suplico que os segundos em que as tuas mãos me moldam, se estendam em tempo infinito. Que essas mãos nunca larguem as minhas e que seja unicamente nos meus olhos que derrames o prazer de um corpo que sinto mais do que o meu..."

Texto: Catarina Vale
Foto: Maria João Alves

# 1269



"Abri a porta. Olhei. Procurei e foi como se o frio do inverno me tivesse penetrado os ossos. Encontrei-o. Parado, imóvel espera por mim. Suavemente fiz deslizá-lo até o apertar na minha mão. Afinal era este o meu iogurte preferido."

Texto: Jorge Gomes Pereira
Foto: Vilma Serrano
 

# 1268



"Somos livros nas estantes dos outros. Aguardamos uma oportunidade, aquela vez em que decidam ir além da lombada exposta."

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Luciana Esteves 

# 1267



“Olharam-se nos olhos. Ficaram assim durante um instante que se estendeu até ao fim do tempo. Além do fim do tempo. Os dois conscientes de que aquele olhar os unira, os prendera um ao outro para sempre.”

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Ana Gilbert

# 1266



"Sentou-se no meio do silêncio. Afagou a alma e abrandou o coração, projectando as memórias que, de tão amachucadas, mal se conseguiam ler..."

Texto: Catarina Vale
Foto: Sónia Silva

# 1265



"- Ainda assim, o teu melhor lado são os dois: o que se ilumina e o que se esconde na sombra.
- O que se sobrexpõe...
- ... e que, contudo, não se conta."

Texto: Clara Vales
Foto: Carla de Sousa

# 1264



"Porque haveremos de desejar ver o céu limpo, se há tanta beleza em lá podermos escrever, em fofo algodão branco, o nosso destino? Se lá podemos encontrar o encanto, transformar farrapos em obras de arte, imaginar que o mundo é redondo e sem fim... Porquê querer um céu limpo de tudo e de nada, quando me deito contigo na areia, o filme corre de forma veloz pelos céus e o mundo para para nós?"

Texto: Renata Barbosa
Foto: Sílvia Bernardino 

# 1260



“Consigo olhar para mim e ver o que se passa cá dentro, não fujo."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Luciana Esteves
 

# 1259



"Só a loucura permite a compreensão certa do mundo. A de que não há qualquer lógica ou sentido."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Maria João Alves

# 1258



"E há sempre os teus olhos que chegam nas minhas manhãs de nevoeiro."

Texto: Jorge Gomes Pereira
Foto: Frankie Boy

# 1257



"Quando no escuro vês melhor. No escuro, a luz tem mais valor. No escuro, o teu olhar aumenta. O teu coração bate, o teu pé procura o chão. No escuro. Na ausência da luz. Ou na total junção das cores. No escuro. Quando no escuro vês melhor."

Texto: Renata Barbosa
Foto: Sónia Silva

# 1256



"Somos um puzzle de vazios, não achas?"

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Carla de Sousa

# 1255



"Suspendo o tempo invadindo mundos onde a verticalidade não tem lugar."

Texto: Catarina Vale
Foto: Inês Sarzedas