# 1850



"Quando as mãos sonham o coração acredita."

Texto: Catarina Vale
Foto: Regislayne Morais

# 1849



"Quando nos distraímos com as coisas do mundo esquecemo-nos que o somos, e quando nos esquecemos já deixámos de o ser."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Frankie Boy

# 1848



"A sala escurecida, iluminada apenas pelo grande ecrã e pelas luzes de saída de emergência, emanava sons em alta fidelidade para as envolver numa viagem interestelar. Viajaram, cada uma ao seu jeito. Nestas coisas, cada um é livre de viajar como bem entender.
Já a narrativa ia avançada quando lhe sussurrou "o amor é o que move esta merda toda", intrometendo-se na viagem da outra, longe de imaginar que daqueles olhos seria acionado o mecanismo dos seus vasos lacrimais. Anos-luz passaram-se, no entanto, é nesta junção de palavras de quem as converteu em sussurro e que continua a assaltar-lhe o pensamento, de quando em vez, que mantém a sua convicção... Uma frase simples, uma frase de merda. Uma frase de... fé?"

Texto e foto: Sandrine Cordeiro

# 1847



"É tanto, e só, nas lembranças que existimos. Nós nos outros, os outros em nós..."

Texto: Catarina Vale
Foto: Tânia João

# 1846



"O mistério percorre-me a pele. Procura-me."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Célia Guerra

# 1845



"Nada lhe garantia que o que vivera e sentira não passara de um sonho.”

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Paula Melo

# 1844



"Os caminhos cruzam-se. As liberdades tocam-se. Os destinos mudam."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Teresa Maria dos Santos

# 1843



"Ficamos tanta vez presos no destino dos outros."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Teresa Marques dos Santos

# 1842



"Lentamente, a fera da noite dissolveu-se no sono exausto dos Homens, sumindo-se por completo no regresso meigo da luz."

Texto: Joana M. Lopes
Foto: Ana Gilbert

# 1841



"Desvanecemos, enfastiados, nas suficiências da vida."

Texto: Catarina Vale
Foto: Carla de Sousa

# 1840



"Para toda a força existe a sua versão oposta e, sem exceção, tudo o que se opõe deriva da mesma fonte, por isso, naquela noite, existia a essência da luz manifestada, quer na luminescência assustadora dos raios enraizando o céu, quer numa arbórea luminosidade, compassiva e arredondada, desenhada como copa de árvore no topo de um candeeiro a petróleo, aceso no interior de uma casa."

Texto: Joana M. Lopes
Foto: Cristina Vicente

# 1839



"Talvez o amor tenha uma determinada vibração e sem ela tudo fique em desequilíbrio."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Raquel Ferreira Coimbra

# 1838



"Dizem-te que na luz é que se deve estar. E tu estás. Ou vais estando, a mando de quem o diz. Reparas que o pedacinho que te circunda é tão pequeno, é quente, sim, algo confortável, até, mas tão sem sal e, olhas para o abismo que te circunda... É tão grande e sedutor. Tão sedutor, repara. E se desses um passo para lhe tocar, hã? Vá, anda... É só um passo."

Texto: Sandrine Cordeiro
Foto: Tânia João

# 1837



"Procuro-me onde não estou
Procuro-me onde nunca estarei"

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Maria João Alves

# 1836



“Os silêncios são feitos de palavras invisíveis que forram a alma.”

Texto: Vanda Balão
Foto: Sílvia Bernardino

# 1835



"Entre o que de especial me acontece e sentir que o sou habita a subtileza de um desacerto incurável." 

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Célia Guerra

# 1834



"- E em que pensas?
- No passado que o meu coração acumulou."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Chico Vilaça

# 1833



"Nunca me digas que a vida sem mim não tem sentido.
Tornar-me-ei uma péssima bússola."

Texto: Cláudia Jerónimo
Foto: Teresa Marques dos Santos

# 1832



"O seu caminho não estava traçado e não havia nenhum destino à sua espera.”

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Paula Melo

# 1830



"... e no entanto vieste e não disseste nada. Nesse momento percebi que já não eras minha, ficaste entregue àqueles dias em que o sol entrava no nosso quarto e nos iluminava a alma. Quando me lembrei de te procurar, foi tarde demais. Não te encontrei. Talvez porque tu não quisesses, não sei. Só sei que não te encontrei. A angústia tomou conta do meu querer, da minha procura, da minha felicidade. Poder não te encontrar era a tragédia. Ainda ando à procura, talvez por não saber nada de ti. Do sonho. À espera, até, de ser despertado. Do sono. De repente, fiquei gelado. 
- Não fales. Eu sei o que tu queres dizer."

Texto: Emanuel Jacinto
Foto: Sandrine Cordeiro

# 1829



"Se o espírito sonha, também a pele deverá ter os seus próprios sonhos."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Maria João Dias

# 1828



"Nas tuas veias corre silenciosamente o sangue; no teu coração, a medo,
instala-se o desânimo. E, contudo, o teu rosto consegue irradiar alegria,
que partilhas."

Texto: Vítor Vieira
Foto: Frankie Boy

# 1827



"Caem as cortinas. Caem as máscaras. Caem as folhas. As estações passam, a vida prossegue. Ciclicamente... Renovamo-nos na esperança da permanência.
Mas nada é nosso... nem a vida."

Texto e foto: Cristina Vicente

# 1824



"Todos os dias são, para ele, dias pela manhã. Não se sente a amanhecer. A escuridão avança. Anoitece. Nele."

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Raquel Ferreira Coimbra

# 1823



"Fim

No dia que fecharem
os teus olhos,
virão os amigos
as palavras doces

a escuridão
terra fria

No dia que fecharem
os teus olhos,
choros inundarão rios
fogos te consomem

teus
sonhos se extinguem

os olhos são vida
e morre a vida
no dia que fecharem
os teus olhos."

Texto: Jorge Gomes Pereira
Foto: Ana Gilbert

# 1822



"Não se retorna ao que está cada vez mais longe…"

Texto: Catarina Vale
Foto: Sónia Silva

# 1821



"Podemos viajar o mundo,
caminhar em todas as direcções,
a vida traz-nos sempre ao lugar de onde não podemos fugir!..."

Texto: Fernando Alagoa
Foto: Peter A. Gilbert

# 1820



"Olhamos, de uma maneira diferente de olhar. Sentimos."

Texto: Jorge Gomes Pereira
Foto: Célia Guerra

# 1819



"Podes fotografar o canto dos pássaros e eternizá-lo para mim?"

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Carla de Sousa

# 1818



“Os silêncios são feitos de palavras invisíveis que forram a alma.”

Texto: Vanda Balão
Foto: Selma Preciosa

# 1817



"Quem disse que para voar são precisas duas asas?"

Texto e foto: Sandrine Cordeiro

# 1816



“Preciso espairecer milhares de pensamentos. Arejá-los.”

Texto: Mónia Camacho
Foto: Sílvia Bernardino

# 1815



"Por sermos reflexos de luz só somos visíveis a quem nos consegue iluminar. "

Texto: Catarina Vale
Foto: Maria João Alves

# 1814



“Preciso espairecer milhares de pensamentos. Arejá-los.”

Texto: Mónia Camacho
Foto: Raquel Ferreira Coimbra

# 1813



"Nas intermitências dos dias, na brancura das noites, interpreto silêncios. Uns são longos, duram eternidades. Outros breves, duram instantes. Não são ausências. Pelo contrário. Sei-te presente em cada um desses silêncios. Como te sei presente em mim. Sinto neles, os teus duelos, as tuas resistências, os teus sorrisos e o... desejo. Sinto-o. Inevitável. Inexorável. Como a tua voz. E não sei escrever, não sei resistir a cristalizar em imagens, senão o que sinto."

Texto: Clara Vales
Foto: Cristina Vicente

# 1812



"Pediste-me para esticar a mão. Entreguei-ta aberta. O teu olhar acompanhou o teu dedo que deslizava sobre as suas linhas vincadas. Dizias que esses pequenos caminhos percorridos na palma da minha mão revelariam tudo acerca da minha vida. 
Não reparaste em nenhum momento para o meu olhar, o meu corpo, as linhas invisíveis que atravessam o meu ser e se propagam para além do meu todo. Sou feita disso tudo e nem reparaste. Podes saber da minha vida, mas não sabes nada de mim."

Texto: Sandrine Cordeiro
Foto: Tânia João

# 1811



"A imaginação vai ter um papel essencial na salvação da humanidade."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Fernando Silva

# 1810



"Todos os dias me olho ao espelho e me digo quem sou."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Sónia Silva

# 1809



"Nas tuas veias corre silenciosamente o sangue; no teu coração, a medo,
instala-se o desânimo. E, contudo, o teu rosto consegue irradiar alegria,
que partilhas."

Texto: Vítor Vieira
Foto: Teresa Marques dos Santos

# 1808



"Quanto mais cresce (o ego) maior a sombra.
Diluir-se-á na própria escuridão."

Texto: Cláudia Jerónimo
Foto: Carla de Sousa

# 1807



“Tão inquieto por aí, procuravas o mundo. E afinal o mundo: dentro de ti.”

Texto: Isabel Bastos
Foto: Sílvia Bernardino

# 1805



"Será que é por sermos tantos num só que vivemos impossibilitados de conhecer o nosso rosto?"

Texto: Catarina Vale
Foto: Maria João Alves

# 1802



"Naquele curto espaço de tempo em que, pela primeira vez, soube o que era o sexo e o orgasmo, sentiu-se feliz. Durante dias foi visível a passagem do corpo dele pelo dela, que lhe doía como se fosse, agora, um corpo velho."

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Frankie Boy

# 1801



“Tão inquieto por aí, procuravas o mundo. E afinal o mundo: dentro de ti.”

Texto: Isabel Bastos
Foto: Fernando Silva