# 528



“O dia começa lento, como começam todos os outros dias em que a noite é passada a contemplar as sombras do quarto escuro iluminado pelo néon verde do velho despertador.”

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Helena Serrador

# 527



"areia, mar, rochas, nuvens e outras loucuras da nossa solidão evoluem a um ritmo aparentemente esbatido pelo silêncio, perante o nosso olhar e a nossa atenção"

Texto: José Alberto Vasco
Foto: Sílvia Bernardino

# 526



"As costas do mundo são iguais às minhas, toco-as com a ponta dos dedos para ter a certeza."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Rui Mãos de Cenoura

# 525



"Sabia-lhe bem a brisa fresca na cara e gostava de ver o dia a despedir-se, deixando as sombras ocupar lentamente os recantos da cidade. Agradava-lhe o cair da noite. As ruas estavam vazias de gente e ficavam só aqueles que, como ela, viviam os momentos sem culpa, com uma libertadora sensação de desperdício."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Elisabete Antunes

# 524



"O dedos viajam na pele à procura do momento chave."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Maria João Alves

# 523



"Afinal, qual é a importância do toque, para que precisamos tanto de tocar o corpo daqueles que amamos?"

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Bruno Mourinha

# 522



"Queria olhar-te. Cheirar-te. Respirar-te. Sentir-te.
Memorizar-te.
E depois
Deixar-te ir."


Texto: Helena Silva
Foto: Rui Mãos de Cenoura

# 521



"A melhor cura para uma alma doente e cansada é a doçura de outro ser humano."

Texto: Jorge Gomes Pereira
Foto: Carla de Sousa

# 520



"O tempo é um consumível escasso que não permite reutilização."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Andreia Pereira

# 519



"Prendes-me. Como uma lâmpada que tem a ilusão que aprisiona a luz no seu interior."

Texto: Miguel Clemente
Foto: Sónia Silva

# 518



"O desconforto é inimigo da morte."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Sílvia Bernardino

# 517



"a visão poética de um universo escarpado entre a realidade e um sonho que a cada instante se parece transformar num pesadelo paradisíaco e inesperado"

Texto: José Alberto Vasco
Foto: Rui Mãos de Cenoura

# 516



"O futuro não é o que poderia ter sido. Mas ainda está a tempo de ser uma coisa diferente daquilo que é."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Frankie Boy

# 515



"Não dou explicações do que tenho a fazer, além do amor."

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Carla de Sousa

# 514



"Afinal há coisas que são perfeitas por natureza e só precisam de um lugar no coração para nos habitarem para sempre."

Texto: Cláudia Rocha
Foto: Rosa Paixão

# 509



"Busco nele a cura."

Texto: Andreia Azevedo Moreira
Foto: Rui Mãos de Cenoura

# 508



"Toda a milésima vez é a primeira vez."

Texto: Andreia Monteiro
Foto: Bruno Mourinha

# 507



"Qual a diferença entre olhar por uma janela e pensar na palavra “janela”?, perguntou o menino a si próprio."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Sílvia Bernardino

# 506



"Às vezes fugimos da luz para trilhar o nosso próprio caminho de ferocidade e dor."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Sónia Silva

# 505



"Deixo escorrer os dias pelo vidro e fecho os olhos."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Maria João Alves

# 504



"espreito pelo postigo, a porta postiça que abri no coração com um sopro.
a mesa há muito que está posta, mas faltas tu. atrasei o relógio com as minhas arritmias. o coração não arrefece."

Texto: Sónia Oliveira
Foto: Sonja Valentina

# 500



"Não me toques, que aleijas. A pedra é tão frágil, sabes?"

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Teresa Marques dos Santos

# 499



"E queria tudo. Tudo o que ela tivesse para dar ou ele pudesse roubar. Beijos, abraços, vertigem e caos."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Carla de Sousa

# 498



"A que sabe a saudade?"

Texto: Helena Silva
Foto: Mónica Brandão

# 497



"Há o zumbido eterno da consciência, alimentado pelos ruídos do mundo, que se avolumam e adensam e lhe fazem latejar as veias das têmporas novamente, e o coração que bate."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Elisabete Antunes

# 496



"Poesia é mesmo esse teu arzinho matreiro e dançante, ou esse teu modo de sorrir que nos aquece a alma, libertando um fogo inesperado sempre que falas."

Texto: José Alberto Vasco
Foto: Bruno Mourinha

# 495



"Foi então que as nuvens lhe começaram a contar segredos."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Inês Sarzedas

# 492



"Despiu-se mesmo à frente dele. Não se despiu de roupa mas mostrou-lhe a alma toda nua. Mostrou-se como se ele nunca a tinha visto assim. E ele já a tinha visto de tantas maneiras."

Texto: Jorge Gomes Pereira
Foto: Rui Mãos de Cenoura

# 491



"Como será pisar a areia molhada de uma praia?, pergunta-se a nuvem olhando lá de cima."

Texto: Paulo Kellerman
Foto: Sílvia Bernardino

# 490



"Quero saber-te com a pele."

Texto: Elsa Margarida Rodrigues
Foto: Carla de Sousa

# 489



"Criara um mundo muito seu de plasticina cor de rosa... ali sentia-se em paz, misantropo... afastando qualquer hipótese de o colorir de outras cores.
- Agrada-me a monotonia! Dizia peremptório, aos que o questionavam..."

Texto: Patrícia Martins
Foto: Bruno Mourinha

# 488



"Não fui sempre estátua, sabias?"

Texto: Mónia Camacho
Foto: Sónia Silva

# 487



"Respiro-te num sopro de intenção. Momento suspenso entre realidades, tão distantes que se tocam do lado de dentro de nossos abismos. Se cair... onde estarás?"

Texto: Clara Vales
Foto: Ana Moderno

# 486



"Estes pedaços de frio contam uma história só nossa."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Elisabete Antunes

# 485



"Foram tantas as ausências
que tudo em mim
ficou preenchido pelo vazio."

Texto: Helena Silva
Foto: Maria João Alves

# 484



"Do frio
Acordei. Acordei num local frio de mim. Acordei sem abrir os olhos. Acordei despida e frágil e só e gelada. Acordei despojada dos teus braços. Acordei, neste insólito lugar de parco conforto: eu. Estremeci."

Texto: Clara Vales
Foto: Rosa Paixão

# 483



"fé
nos espíritos de metal oxidado
nos olhos bem fixos e vedados
que não transbordam com o mundo"

Texto: Sónia Oliveira
Foto: Rui Mãos de Cenoura

# 482



"As florestas sem caminhos são um mistério que quero percorrer dentro de mim. Sem medo de me perder."

Texto: Cláudia Rocha
Foto: Andreia Pereira

# 481



"Sonhos e realidade, desejos e promessas. Habito entre silêncios e ruídos. Alimento-me de pensamentos."

Texto: Clara Vales
Foto: Sílvia Bernardino

# 480



"Perdoa-me se não foi demolidor, se não foi avassalador, se não foi assustador. Só o que nos assusta por dentro vale a pena. Só o que nos faz tremer as pernas, as mãos e o corpo todo vale a pena."

Texto: Helena Simão
Foto: Inês Sarzedas

# 479



"Há uma candura nesta ideia absurda de que me posso salvar."

Texto: Mónia Camacho
Foto: Bruno Mourinha