# 1061



"Quando chegaram ao rio, a noite rabiscava amarelo a lua crescente. A música e a dança deram lugar a vozes baixinhas e mãos ligeiras. Um por um, os barcos escapuliram da caixa. Um por um, começaram a navegar. Brincavam com as pequenas ondas e ameaçavam tombar, atrapalhavam-se com algum galho e perdiam-se na ramalheira carregada de flores debruçada sobre a água . Mas chegou a hora de todos zarparem. Barcos miúdos à vela feitos das pequenas inutilidades do dia. Corriam o rio!"

Texto: Lorena Kim Richter
Foto: Mónica Brandão

Sem comentários:

Enviar um comentário